AGIR – Programa de Acções para uma Governação Inclusiva e Responsável

Rádios Comunitárias beneficiam de apoio em material radiofónico e Informático

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on print
Print
Share on email
Email

São no total 23 Rádios comunitárias espalhadas em Todas as regiões do País que vão beneficiar de apoio em material radiofónico e Informático. Este apoio surge como resposta aos enormes desafios que estas rádios tem enfrentado ao longo dos últimos anos . A maior parte das rádios e Centro Multimédia Comunitários apresentam equipamento obsoleto o que dificulta sobremaneira o acesso à Informação de qualidade as comunidades locais.

Este apoio surge no âmbito do Programa de Acções para uma Governação Inclusiva e Responsável Financiada Pela Embaixada da Suécia e implementado por 3 organizações intermediárias, sendo o subprograma AICE implementado pela Oxfam. Daí que, nesta terça feira foi lançado o primeiro acto de entrega deste equipamento pelas mãos da  Embaixadora do Reino da Suécia em Moçambique que visitou as instalações da Rádio Comunitária de Inkomati sita no distrito de Manhiça. Esta visita marcou o inicio formal de entrega de diverso equipamento as 23 rádios que variam de material informático  e radiofónico como Computadores, cossoletes, emissores, microfones, gravadores e muito mais.  

Na ocasião, a Embaixadora da Suécia frisou a importância das Rádios comunitárias como sendo o principal veiculo de informação para a maior parte da  população, principalmente nas zonas rurais, promovendo a igualdade e democracia no País. O AGIR esteve sempre associado ao crescimento das Rádios Comunitárias desde a primeira fase do Programa, através dos seus parceiros de implementação, que são o CAICC e o FORCOM.

Vale a pena referir que segundo a Associação Mundial das Rádios Comunitárias (AMARC),  são RC aquelas que pertencem à comunidade, os membros são donos e decidem sobre o conteúdo a ser difundido nas mesmas, quando elas promovem a participação dos cidadãos e defendem os seus interesses e quando, nos seus programas, são debatidas e consideradas todas as correntes de pensamento e opinião, num contexto em que todos e todas são igualitariamente respeitados/das e considerados/das.

Outros artigos:

Close Menu