AGIR – Programa de Acções para uma Governação Inclusiva e Responsável

Incertezas Sobre os Moldes de Financiamento da Sociedade Civil Depois do Agir II

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on print
Print
Share on email
Email

Um dos debates de destaque durante o FORUM Consultivo Anual do Programa AGIR, Edição 2019, esteve relaccionado ao ponto de situação da Planificação das Embaixadas e o futuro do apoio as organizações da Sociedade Civil.

Durante a sua explanação, a Embaixada da Suécia, representada pela Nilla Insgstorp e Luisa Fumo, explicaram às organizações beneficiarias dos fundos do AGIR sobre as incertezas da continuidade do AGIR, clarificando que, à Sociedade Civil continuará a ser um pilar chave para a Suécia, apesar de aimda não haver respostas em relacção aos moldes a adoptar para apoiar as organizações da Sociedade Civil depois do AGIR II.

Apesar das incertezas, as organizações da Sociedade Civil demonstraram durante a conversa, uma esperança de financiamento da Suécia para os próximos anos, mesmo sem uma resposta definitiva dos critérios de actuação.

Refira-se que, este ano é o penúltimo do programa o AGIR II e a incerteza e a ansiedade reinam no seio da Sociedade Civil sobre o seu futuro depois do AGIR II.

Outros artigos:

agir

agir

O AGIR – Acções para Uma Governação Inclusiva e Responsável, é um programa de apoio e capacitação das Organizações da Sociedade Civil (OSC´s) Moçambicanas, cuja primeira fase de implementação decorreu de 2010 a 2014. Desde Janeiro de 2015 até Dezembro de 2020 decorre a segunda fase, com a duração de seis anos, tendo a Embaixada da Suécia como seu principal financiador, com apoio suplementar das Embaixadas da Dinamarca e Países Baixos.

Deixe o seu comentário

Close Menu